Publicidade
Cheila Naves

Cheila Naves

Mãe de três filhas, Cristã, Professora do IFTO, Empresaria de uma academia exclusivamente feminina. Foi a primeira coordenadora do projeto social internacional Brasil - Canadá, que trabalhava com mulheres em estado de vulnerabilidade.

Terça, 15 Agosto 2017 21:56

Onde está sua beleza?

Trabalhar proporcionando o bem-estar das pessoas é algo que está acima de qualquer quantia monetária. Obviamente, paga-se pelo serviço prestado, afinal profissionais investiram tempo e dinheiro para saber como alcançar a meta desejada pelo cliente/paciente. Mas recompensa mesmo, a gente tem é na expressão de satisfação quando esses objetivos são atingidos. E nessa rotina de acompanhar a evolução ou o desabrochar da beleza de pessoas de várias idades, como gestora de uma academia, paira por meus pensamentos a seguinte questão: Qual é o tipo de aparência que realmente cada um quer?

Facilmente, o que vemos na internet, televisão ou qualquer outro meio de comunicação nos influencia na referência do belo. E não é necessário pesquisa para comprovar essa afirmação, basta um clique nas redes sociais de blogueiras fitness e ver a quantidade de seguidores que elas tem. Os números passam com folga dos milhões nos perfis mais famosos. No entanto, o biotipo das musas do instagram é apenas o padrão atual de beleza.

Num breve passeio pela história é possível perceber como tais padrões estão intimamente ligados aos significados de cada período, a saber pela escultura da Vênus de Willendorf, datada de 28 mil anos que retrata a figura feminina bem longe do que conhecemos ser um corpo harmonioso. Muito tempo mais tarde e com não menos modificações em curtos períodos, já em 1450 o corpo virou uma fonte de estudos para a matemática e vem a fase dos artistas da anatomia do Renascimento. Da Vinci foi um deles.

Tem-se a protuberância da Vênus de Botticelli, as esculturas que remetem à perfeição da criação divina como Davi, de Michelangelo; a introdução do fisiculturismo já iniciando a era de exibição de músculos nos idos de 1900, passando pela fartura dos seios e quadris das estrelas de Hollywood da década de 40. Vinte anos depois, a top model Twiggy ditava nas passarelas os cabelos curtos e a ausência de curvas num corpo magro até chegar a Jane Fonda e suas fitas cassetes com aulas de ginástica, nos anos 80, seguida pela conhecida Era das Supermodelos, altas, magras e com curvas na medida, a exemplo de Cindy Crawford e Naomi Campbell. E, enfim, chegamos ao padrão do bumbum na nuca e próteses de silicone onde mais se quiser avantajar.

Veja que desde a mulher paleolítica com a Vênus de Willendorf às jovens de hoje que se espelham na Gabriela Pugliesi, persegue-se uma referência de beleza. Há algo errado nisso? Nada! Apenas o fato de não se compreender, muitas vezes, que padrões são temporais e, assim, passam. Sendo um dos significados de beleza a expressão própria de belo, faz-se necessário que, antes, cada um a encontre dentro de si. Onde está a sua beleza?

Sexta, 11 Agosto 2017 23:25

Uma doce forma de empreender

O protagonismo juvenil tem me encantado com mais intensidade nos últimos tempos. Ver e até participar da concretização de projetos de pessoas com idade muito tenra tem sido gratificante e motivador num país em que a realidade econômica, na mais otimista das visões, ainda deve demorar para se ajustar, pois dizer que os componentes que envolvem o contexto financeiro brasileiro vão se equilibrar de forma definitiva pode ser uma ilusão sem tamanho. Porém, felizmente, no que depende da força de quem leva esse País adiante encontramos exemplos que fazem acreditar que a maior contribuição desse ajuste da economia virá, literalmente, das mãos habilidosas de quem não se acomoda com os rumos que as coisas estão tomando diante de nossos olhos.

Pois bem, se a característica mais comum de demonstrar força está justamente nas mãos, elas são bastante utilizadas há cerca de um ano pelo João Paulo e o Pedro Lucas que, apesar de alguma semelhança na sonoridade dos nomes, só tem em comum a inquietude dos seus 19 e 20 anos, respectivamente, e o sonho de fazer negócio, esse que chegou até mim há poucos dias em forma de doce, tão agradável ao paladar de quem é amante de sal como eu, que logo quis saber a origem do produto artesanalmente delicioso e embalado com uma qualidade de dar gosto.

Amigos desde o ensino médio, os jovens, acadêmicos de Direito e Engenharia Elétrica, sem ter como trabalhar num emprego formal e conciliar os estudos, se arriscaram a entrar no mercado de trabalho pela produção de alfajor*. Assim como faltava experiência no mercado, na cozinha também não foi diferente; teve mãe entrando junto para dar o pontapé no negócio dos meninos. Mas foco e disciplina transformam qualquer falta de jeito em habilidade e hoje os dois trabalham sozinhos. A produção inicial de 150 doces já se transformou em 500 unidades por semana.

Entre planilhas de lucros e despesas analisadas semanalmente, livros da faculdade, tempo dividido entre produção e vendas entregues numa motocicleta, o João Paulo e o Pedro Lucas vão garantindo seus lucros, imprimindo seus nomes no mercado e, principalmente, ajudando a escrever um novo cenário econômico para o futuro do País. Inspire-se!

*Em castelhano "alfajor" [alfa'xor]. É um doce tradicional da Espanha, Argentina, Chile, Peru, Uruguai e outros países ibero-americanos, O nome vem do árabe al hasu e significa recheado.

Cheila Naves

Segunda, 07 Agosto 2017 23:28

Quanto vale um sonho ?

Concordando com Fernando Pessoa, ao dizer que “tudo vale a pena quando a alma não é pequena”, não é arriscado definir que sonho é do tamanho da alma do sonhador. E, para tal, não há padrão nem tampouco limite. Para muitos, esse desejo não consumado é um carro de luxo; para outros uma viagem; uma casa; estar com um familiar que não vê há muito tempo... Para a pobre menina, uma boneca que nunca teve. Para uma rica senhora, adquirir o último lançamento de uma marca internacional que ainda não chegou ao País, enfim, não se delimita isso, apenas sente-se conforme o contexto que lhe envolve. Mas e quanto cada um está disposto a fazer essas vontades tornarem-se concretas? Pois bem, diferente do limite do sonho, a busca por ele pode ser mensurada.

Imagine com tantas possibilidades menos trabalhosas que o mundo oferece especialmente a quem é jovem e belo, uma jovem acordar às 5 horas da manhã, rodar a cidade numa motocicleta, para estar pontualmente em uma academia às 6h, emendar com o trabalho de auxiliar de projetos em uma empresa de Engenharia Elétrica; no horário do almoço fazer aulas de passarela, voltar pro trabalho, seguir para a faculdade de Arquitetura; voltar para casa e estudar mais, para reforçar o aprendizado acadêmico e para passar em um concurso público. E no meio dessa rotina intensa, ainda há espaço para aulas de oratória, inglês e voluntariado. Por que alguém faria isso tudo? Essencialmente, pela motivação de construir um futuro brilhante e, consequentemente, por querer representar o Tocantins num concurso nacional de beleza. Bem vindo à vida da Islane Machado, que viaja hoje para São Paulo para participar do Miss Brasil 2017, no próximo dia 19.

De certa forma, o sonho da Islane já está realizado: o de ser a representante da beleza do Estado, mas sua determinação a incomoda para alcançar a perfeição. Quando chegou à Femine Fitness Center, aparentemente imaginamos que nem havia o que ser feito. Tanta harmonia corporal parecia exigir apenas a manutenção de uma rotina de treinos. No entanto, quase imperceptível em meio à beleza da nossa miss, havia milímetros que poderiam ser ajustados. Durante meses, ela literalmente correu atrás dessa adequação. De nossa parte, praticamente somente um acompanhamento da equipe, pois a disciplina desta jovem a fez alcançar a meta com louvor.

O sonho da Islane vale um esforço diário de equilíbrio do corpo e mente e o drible de muita adversidade que não nos cabe relatar aqui. E o nosso sonho? Quanto esforço está valendo?
Cheila Naves

Devido ao sucesso da primeira semana, entre os dias 24 e 28 de julho, das 14h às 18h, ocorre a 2ª semana da IV Colônia de Férias, no Câmpus da UFT em Palmas. As inscrições para a Colônia já estão abertas e são realizadas por um formulário disponível aqui. São disponibilizadas 30 vagas tanto para o público interno quanto para o externo, sendo disponibilizadas 30 vagas para crianças entre sete e dez anos, além disso, será cobrada uma taxa de inscrição no valor de R$ 60.

Segundo o Pró-reitor interino de Extensão, Cultura e Assuntos Comunitários (Proex), Dimas Magalhães, a iniciativa visa promover um desenvolvimento saudável para o corpo e mente das crianças, por meio das práticas de lazer, esporte e cultura, e além disso fazem uma visita pelas instalações do Câmpus. “A Colônia tem por objetivo a integração dessas crianças por meio de atividades lúdicas e pedagógicas, e também que sejam trabalhadas em grupo”, menciona.

Dimas também relata que com os resultados positivos que a Colônia vem obtendo e o grande número de pais procurando essa opção para seus filhos é esperado que o projeto continue com suas atividades, sempre realizadas aos meses de julho e janeiro.

Essa ação é organizada pela Pró-reitoria de Extensão, Cultura e Assuntos Comunitários (Proex), por meio da Diretoria de Assuntos Comunitários, em parceria com o Sindicato dos Técnicos Administrativos da UFT (Sintad/UFT).

Sexta, 30 Junho 2017 18:56

O BINGO DA AMÉLIA

NINGUÉM SE IMPORTA

Primeiro levaram os negros
Mas não me importei com isso
Eu não era negro
Em seguida levaram alguns operários
Mas não me importei com isso
Eu também não era operário
Depois prenderam os miseráveis
Mas não me importei com isso
Porque eu não sou miserável
Depois agarraram uns desempregados
Mas como tenho meu emprego
Também não me importei
Agora estão me levando
Mas já é tarde.
Como eu não me importei com ninguém
Ninguém se importa comigo.
                                                    Bertolt Brecht
Esse texto, do poeta alemão Bertholt Brecht, ilustra uma faceta da sociedade
pós-moderna: o individualismo exacerbado.
Penso somente em mim, na minha vida, no meu trabalho, nas minhas
prioridades. O outro não me interessa. A comunidade, as questões políticas relevantes
para a coletividade, para essas coisas, não tenho tempo. É sempre assim. Todos são
assim.
Todos são assim? SQN 1, como diria um integrante da geração Z (ou iGeneration 2). Nem todas as pessoas são assim.
Embora não se possa negar a prevalência do individualismo na contemporaneidade, é possível presenciar ações de solidariedade, comportamentos que
demonstram que uns ainda se importam com os outros.
Nesse dia 29/06/2017, foi possível testemunhar umas dessas ações em Palmas/TO, durante a realização de um bingo. O BINGO DA AMÉLIA.
Amélia já foi personagem dessa coluna. 

Poderiam ser sinônimos para Amélia: corrida, determinação, pódio, coragem,
foco, disciplina, vontade de vencer, força, tênis furado....Tênis furado?? Isso mesmo.
Essa atleta amadora, de 62 anos e muitos troféus (26 vitórias, quase todas em 1º lugar),
tinha apenas 1 tênis, que sucumbiu ao uso e furou. As modestas condições financeiras
não lhe permitiam a compra de outro par.
Surgiu, então, a ideia de realizar o bingo, para poder custear um novo calçado
para essa admirável pessoa. Amigas se juntaram e se tornaram Djs, decoradoras,
cozinheiras, vendedoras, cada uma providenciando um detalhe. Pediram e doaram
brindes, venderam e compraram cartelas, emprestaram sofás e jarras, convidaram outras
amigas. Um verdadeiro mutirão para dar concretude ao desejo de ajudar alguém.
E assim se fez.
PARA PROVAR QUE AINDA NOS IMPORTAMOS.

1 Gíria muito utilizada na internet e redes sociais, que significa “só que não”´.
2 Termo empregado para se referir às pessoas nascidas da metade da década de 90 até o ano de 2010, cuja característica é a grande familiaridade com a internet e as novas tecnologias.

Segunda, 19 Junho 2017 10:27

Aulão de Dança

Acontecerá nesta quarta feira dia 21 de junho de 2017 às 19:00 horas um mega aulão de dança no estacionamento da Academia Femine, com a  participação da Farmácia Artesanal  com degustação de produtos e sorteio de brindes.  O aulão será  aberto ao público feminino externo. 

 

 

Sexta, 26 Maio 2017 08:37

Parabéns para Grazielly Oliveira

Hoje abrilhantando a nossa Coluna a empresária Grazielly Oliveira que completa mais um ano de vida.

Sua comemoração vai ser uma festa com as amigas o B-Day com as Amigas Grazy.  Parabéns e muito sucesso sempre

Sexta, 19 Maio 2017 22:30

Projeto Palmas para o mundo

Abrindo a programação do Festival musical Palmas para o mundo da Fundação Cultural de Palmas aconteceu nesta sexta feira 19 de maio de 2017 a gravação ao vivo do DVD de Dorivan. 

Sexta, 19 Maio 2017 22:30

Projeto Palmas para o mundo

Abrindo a programação do Festival musical Palmas para o mundo da Fundação Cultural de Palmas aconteceu nesta sexta feira 19 de maio de 2017 a gravação ao vivo do DVD de Dorivan. 

Quinta, 11 Maio 2017 22:53

Meu maior exemplo, minha mãe

Para homenagear as mães resolvi escrever sobre a minha maior inspiração: Dona Elisa. Nem sei por onde começar quando o assunto é você, mãe.
Mulher simples e de pouco estudo. De uma sabedoria enorme e um dom que poucos tem, de ser mãe e de amar incondicionalmente sua família. Nasceu para ser mãe e faz o seu papel com maestria. Consegue manter tudo e todos a sua volta. Tem a casa sempre cheia pelos filhos, netos, noras e genros, atraídos pelo seu carisma ou por sua comida, que é maravilhosa!

Página 1 de 2

Colunistas



Acesso Restrito

Contato

© Todos os direitos reservados. Ivonete Eich / Coluna VIP Tocantins | 2013-2017.

Desenvolvido por OceanoAzul 100x27