Publicidade
Sexta, 12 Janeiro 2018 12:01

Pérolas se formam fora das ostras também

Publicado por
Avalie este item
(0 votos)

A pérola, tão apreciada no mercado de joias, só vem à existência depois que uma ostra é invadida por corpos estranhos, como grãos de areia por exemplo. Num mecanismo de defesa, o ser invasor é envolvido entre a concha e o manto camadas de células da própria ostra e a pérola vai se formando. Isso pode levar até três anos. Algumas não saem tão perfeitas como os joalheiros e designers querem; outras são raras, como as negras, encontradas no Taiti, mas cada uma tem o seu valor por ter nascido de uma forma tão mágica e ao mesmo tempo elaborada.

Não por acaso, um evento que lotou o auditório CUICA da Universidade Federal do Tocantins, no primeiro domingo de 2018, deu esse nome às participantes: Pérolas!

Mais que uma apresentação de negócios, mulheres tiveram a oportunidade de absorver conhecimento sobre o potencial feminino para o empreendedorismo, especialmente nesse período em que vivemos, no qual o modelo de mercado de trabalho vem mudando de forma abrupta e, principalmente, porque na relação patrão/empregado a mulher ainda sai em desvantagem: ganhamos cerca de 15% a menos que os homens, segundo dados do Ministério do Trabalho e absurdos 48% das trabalhadoras ficam sem emprego no primeiro ano após o parto, pelo novo ritmo de vida imposto pela chegada de um bebê,  conforme levantamento da Fundação Getúlio Vargas. E, normalmente assim, nesse processo de mudança que uma pérola pode nascer dentro de uma mulher.

Da mesma forma que as condições precisam estar perfeitas dentro da ostra para que a joia se desenvolva, é necessário que , por dentro, a mulher esteja imbuída desse novo formato de vida que ela se vê envolta. Se isso não acontece naturalmente, eventos como o que mencionamos acima ajudam nessa preparação, de forma lúdica, por meio de sorteios, palestras motivacionais, treinamento e trocas de experiências.

Essa é uma das formas de se reinventar neste século, neste tempo economicamente difícil! Ao invés de se abater pela chegada de uma situação que invade sua vida inesperadamente, forme uma pérola com esse corpo estranho e, no lugar da dor, tenha lucro!

Última modificação em Sexta, 12 Janeiro 2018 12:20
Cheila Naves

Mãe de três filhas, Cristã, Professora do IFTO, Empresaria de uma academia exclusivamente feminina. Foi a primeira coordenadora do projeto social internacional Brasil - Canadá, que trabalhava com mulheres em estado de vulnerabilidade.

www.colunaviptocantins.com.br/cheila-naves

Colunistas

Acesso Restrito

Contato

© Todos os direitos reservados. Ivonete Eich / Coluna VIP Tocantins | 2013-2017.

Desenvolvido por OceanoAzul 100x27