Publicidade
Cheila Naves

Cheila Naves

Mãe de três filhas, casada, cristã, professora do IFTO, empresaria de uma academia exclusivamente feminina. Foi a primeira coordenadora do projeto social internacional Brasil - Canadá, que trabalhava com mulheres em estado de vulnerabilidade.

Nesta segunda-feira (5), às 19h, será inaugurada a exposição Cerrado Urbano, do grafiteiro Bruno Cacuda, na Câmpus de Palmas. Esta é a primeira exposição individual do artista, que integra o Zero63 crew, coletivo de artistas de rua de Palmas. A exposição poderá ser visitada até 29 de março na Universidade Federal do Tocantins (UFT), pelo Programa Corredor Cultural, promovido pela Pró-Reitoria de Extensão, Cultura e Assuntos Comunitários (Proex) no hall do Bloco IV (Bloco da Reitoria).

A Universidade Federal do Tocantins (UFT) comemora uma nova conquista. A instituição foi aprovada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e Fórum Nacional de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia (Fortec) para a implantação do Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação (Profnit/Fortec).  Na UFT, o mestrado já inicia com nota 4 pela Capes e será gerido pelos professores Francisco Gilson Rebouças Pôrto Junior  como coordenador e Kleber Abreu Sousa como vice-coordenador. O edital para seleção de alunos para a pós-graduação stricto sensu está em fase de elaboração nacional, sem data exata para o certame.

Quarta, 21 Fevereiro 2018 09:28

Conac oferece curso de teatro para crianças

Publicado por

O CONAC - Grupo de Pesquisa e Extensão em Composição Poética Cênica, Narratividade e Construção de Conhecimento oferece aulas de teatro para crianças com idades entre 04 e 10 anos. As aulas serão ministradas por meio do projeto “Encontros de Ludicidade e Infância”, que caracteriza uma escola-laboratório para desenvolvimento de estratégias metodológicas para o ensino de teatro na educação básica brasileira institucionalizada. Serão elaborados planos de ensino, ministradas as aulas e registradas para construção de acervo de consulta para profissionais e estudantes da área. No laboratório serão reproduzidas as situações espaciais e demográficas da sala de aula, tomando-se como referência as escolas públicas da cidade de Palmas.

Com apenas dois anos de idade, o pequeno João Gilberto encanta por onde passa com seu sorriso fácil e olhar de esperança por dias melhores. Acometido de uma doença rara – Atrofia Muscular Espinhal (Ame), uma doença que causa a paralisação dos músculos, João Gilberto necessita de doses do medicamento Spiranza, que hoje está  custando um milhão setecentos e cinquenta mil reais. 

Sexta, 12 Janeiro 2018 12:01

Pérolas se formam fora das ostras também

Publicado por

A pérola, tão apreciada no mercado de joias, só vem à existência depois que uma ostra é invadida por corpos estranhos, como grãos de areia por exemplo. Num mecanismo de defesa, o ser invasor é envolvido entre a concha e o manto camadas de células da própria ostra e a pérola vai se formando. Isso pode levar até três anos. Algumas não saem tão perfeitas como os joalheiros e designers querem; outras são raras, como as negras, encontradas no Taiti, mas cada uma tem o seu valor por ter nascido de uma forma tão mágica e ao mesmo tempo elaborada.

 

Neste domingo, 07/01, um grupo de empreendedoras quer compartilhar dicas, experiências, contatos, enfim, ajudar outras mulheres a focar em um caminho de sucesso. Será uma tarde regada a treinamentos e muita conversa sobre empoderamento feminino, além de sorteio de brindes no evento ¨Mulheres Empreendedoras do Século XXI”.

A iniciativa é das Pérolas de Palmas, representantes de uma famosa marca de cosméticos. O encontro será às 14h no auditório CUICA da UFT. A entrada é somente R$ 10. Uma excelente oportunidade para quem quer aproveitar o Ano Novo para mudar de vida.

Domingo, 17 Dezembro 2017 19:49

O trânsito, suas vítimas e uma determinação de paz

Publicado por

Trinta e quatro vidas cuja interrupção reflete em sofrimento multiplicado a outras tantas, que são familiares, amigos, conhecidos, enfim, qualquer pessoa que teve o mínimo de convivência e sente as consequências da partida abrupta de alguém vítima do trânsito. Esse foi o número de pessoas que morreram só neste ano em Palmas, fora os que estão com sequelas de acidentes graves, que somaram 66 só em 2017 até agora, conforme dados do Projeto Vida no Trânsito.

É um fato que a maneira de fazer humor, comédia de uma grande quantidade de pessoas simultaneamente mudou. Não só pelo conteúdo mas pela forma. Umas duas décadas atrás a família sentava-se à frente da tv e digeria de forma muito agradável o que os Trapalhões faziam. Depois vieram personagens específicos como os diversos de Tom Cavalcante, Tiririca, os rapazes do Casseta e Planeta, Hermes e Renato até chegar ao Porta dos Fundos que mesclou o stand up comedy dos palcos com a internet e abriu as telas dos computadores e celulares para tantos talentos que tem públicos “continentais”.

Quarta, 22 Novembro 2017 08:05

Quando o humor vai embora

Publicado por

Já passamos do Outubro Rosa, estamos no chamado Novembro Azul, meses em que são intensificadas as campanhas de combate ao câncer de mama e próstata, respectivamente. As iniciativas são mais que válidas, afinal pelo menos nesse período a sociedade parece ‘acordar’ para um mal que ronda a todos nós cada vez com mais veemência. Por isso a necessidade de falar do câncer em qualquer oportunidade. No último dia 10 de novembro, o Brasil se entristeceu com a partida da atriz Márcia Cabrita, vítima de câncer de ovário, contra o qual lutou bravamente por sete anos. Uso o exemplo da artista porque se fez ser conhecida por arrancar risos de muitos de nós em vários papeis de sua carreira e, especialmente, no humorístico Sai de Baixo, interpretando a doméstica Neide Aparecida.

Quem diria que a curiosidade de uma garotinha gaúcha criada em meio a recortes de tecido, agulhas e linhas entre a casa da avó e da mãe se transformaria, décadas depois, em peças lapidadas a partir da natureza do Tocantins... Foi a infância simples da Andrieli Pinto, junto à necessidade de aprender um ofício que auxiliasse no sustento da casa e aulas de bordado e pintura que eram disciplinas na escola pública em que estudava em Passo Fundo, no Rio Grande do Sul, que deram um norte quando a então jovem recém casada vinha tentar a vida no mais novo Estado da Federação, no início dos anos 2000.

Página 1 de 2

Colunistas

Acesso Restrito

Contato

© Todos os direitos reservados. Ivonete Eich / Coluna VIP Tocantins | 2013-2017.

Desenvolvido por OceanoAzul 100x27